Postagens recentes. Confiram!

sábado, 22 de novembro de 2014

Mini projeto de Natal

Boa tarde!
Hoje trago a sugestão de um mini projeto de natal, como o fim do ano já está batendo na porta e muitas escolas já estão se preparando, fica esta sugestão como dica, pode ser útil...

Faixa etária: 3 a 4 anos

Justificativa:

Pretende-se conduzir uma série de atividades que facilitem a aquisição e construção de conhecimentos das tradições de Natal pelos alunos de forma participativa, descontraída, buscando integrar a perspectiva de diversas áreas.

Objetivos:

Conhecer o verdadeiro espírito de Natal;
Estimular a formação de bons hábitos e o respeito as crenças, símbolos e sentimentos alheios e a religiosidade de cada um;
Identificar os símbolos do Natal;
desenvolver a linguagem oral;
Desenvolver o raciocínio e a criatividade;
Estimular a socialização;

Desenvolvimento:

Texto informativo;
Relatos;
Leitura;
Pesquisas;
Cartas;
Poemas;
Músicas;
Filmes;
Artes;
Cartões.

Culminância:

Festa de despedida com entrega de lembrancinhas
Festa de encerramento com apresentações para os pais.



sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Contação de história simultânea

Bom dia amores.

Hoje vou compartilhar uma atividade realizada na minha escola. Participaram quatro turmas, uma do mini maternal (2 anos) e três turmas do maternal (3 anos). Cada professora ficou responsável por contar uma história, enfeitamos a sala de acordo com a história e colocamos um cartaz, referente a história, na porta, conversamos com as crianças e cada uma escolheu a sala que mais lhe chamou atenção. As histórias foram contadas ao mesmo tempo e as turmas foram misturadas, já que as crianças ficaram livres para escolher. Depois quando cada aluno retornou a sua sala, compartilharam com os amigos as histórias que ouviram nas outras salas. 

Uma atividade simples, fácil de organizar e que dá um resultado bacana.

Livro: Onde está a bruxa?



Livro: Bruxa, Bruxa venha à minha festa. falei sobre este livro aqui



Livro: O Ratinho, o Morango Vermelho Maduro e o Grande Urso Esfomeado



quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Como organizar uma Mostra Cultural

Bom dia!!!

Com o final do ano, começam os eventos de encerramento das atividades nas escolas, um deles é a famosa "Mostra Cultural", em algumas escolas são chamadas de "Feira Cultural", mas o tipo de evento é o mesmo, só muda a nomenclatura.

Na minha escola iremos realizar nossa Mostra no dia 22 deste mês, está tudo muito corrido e fazendo uma pesquisa sobre o assunto, percebi que não há muita coisa.

A Mostra Cultural, de maneira geral é um evento realizado pela escola, aberto ao público geral, para expor as atividades realizadas ao longo do ano. Geralmente costuma ser realizada nos meses de novembro e dezembro, algumas escolas se antecipam e realizam o evento em outubro, isso vai do planejamento de cada escola.

É muito importante que as questões relacionadas à Mostra Cultural da escola sejam resolvidas logo no início do ano, já que o evento exige um certo planejamento. As diretoras e coordenadoras, junto com a equipe, devem definir a data, o local e o tema logo no início do ano, assim as professoras já saberão o que vão trabalhar e o que precisam guardar para o evento.

É necessário um diagnóstico do público atendido pela escola, para que a escolha do tema seja adequada, o PPP (Projeto Político Pedagógico) pode ajudar nesta tarefa.

Depois de saber quem será o público alvo do evento é hora de definir a data, que deve ser incluída no calendário escolar. É importante que este calendário seja seguido, pois algumas escolas se atrapalham na administração e não seguem o calendário, não que este tenha que ser inflexível, mas se todas as datas forem modificadas perde-se o sentido de elaborar calendário e os funcionários ficam perdidos.

O local também é muito importante, tente definir em qual espaço será a exposição dos trabalhos, se vai ser um espaço comum para todas as turmas ou individual, se será utilizado o pátio, auditório, salas de aula, corredores, tudo isso deve ser definido com antecedência para que o professor saiba de que forma vai expor as atividades de sua turma.

É preciso definir se a Mostra terá um tema ou será livre, isso logo no início do ano, para que os professores tenham tempo de planejar, preparar e aplicar as atividades com qualidade.

A divulgação do evento também é importante, tente envolver os pais, converse com eles e fale sobre a importância da valorização dos trabalhos dos alunos, pois esta atitude ajuda na autoestima das crianças, espalhe cartazes, faça convites, divulgue no site da escola ou fanpage. Tudo com antecedência para que os pais e familiares dos alunos possam se programar para comparecer.

Pense também no lado financeiro, pois um evento gera gastos, faça um planejamento do material que será gasto e veja se a escola dispõe desse valor, para que tudo corra bem e não ocorra imprevistos.

Algumas escolas fazem apresentações, oficinas ou dinâmicas neste dia, outras apenas expõem as atividades, isso pode ser definido com o grupo.

Se for feito um bom planejamento tenho certeza que a Mostra Cultural será um sucesso.

A seguir separei algumas fotos de uma Mostra Cultural, que podem servir de inspiração:

Nesta escolas, os trabalhos foram expostos num espaço comum, onde todas as turmas expuseram suas atividades, não teve um tema específico, foi expostos as atividades trabalhadas durante todo o ano.



















quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Relatório de avaliação na Educação Infantil - Dicas

Boa Noite.

O ano está terminando e depois de muitas dificuldades e obstáculos, chega a hora de fazer a avaliação final. No caso da Educação Infantil, a melhor forma de registrar esta avaliação é  por meio de relatório,  dessa forma conseguimos passar aos pais ou responsáveis todas as nossas observações e como foi o desenvolvimento dos pequenos.
Na hora de redigir o relatório sempre entramos numa questão polêmica, que é a forma de escrever, devemos usar termos técnicos? devemos escrever tudo, exatamente como a criança é? ou devemos escrever em uma linguagem mais simples para que os pais entendam? há controvérsias e este assunto renderia diversos posts. Mas hoje só vou dar algumas dicas de palavras ou expressões para serem usadas no relatório, pois é fato, que nós não gostamos de parecer grosseiros ou ofender os pais, sendo assim em alguns casos é bom substituir a expressão por uma mais branda. Espero que seja útil para vocês.


Expressão
Substituição
O aluno não sabe
O aluno não adquiriu os conceitos, está em fase de aprendizado
Não tem limites
Apresenta dificuldades de autorregulação, pois...
É nervoso
Ainda não desenvolveu habilidades para convívio no ambiente escolar, pois...
Tem costume de roubar
Apresenta dificuldade de autocontrole, pois...
É agressivo
Demonstra agressividade em situações de conflito, usa meios físicos para alcançar o que deseja
É bagunceiro, relaxado, porco
Ainda não desenvolveu hábitos próprios de higiene e de cuidado com seus pertences
Não sabe nada
Aprendeu algumas noções, mas necessita desenvolver...
É largado da família
Aparenta ser desassistido da família, pois...
É desobediente
Costuma não aceitar e compreender as solicitações dos adultos, tem dificuldades em cumprir regras
É apático, distraído
Ainda não demonstra interesse em participar das atividades propostas, muitas vezes parece se desligar da realidade, envolvido em seus pensamentos
É mentiroso
Costuma utilizar inverdades para justificar seus atos ou relatar as atitudes dos colegas
É fofoqueiro
Costuma se preocupar com os hábitos e atitudes dos colegas
É chiclete
É muito afetuoso, demonstra constantemente seu carinho...
É sonso e dissimulado
Em situações de conflito coloca-se como expectador, mesmo quando está clara a sua participação
É preguiçoso
Não realiza as tarefas, aparentando desânimo e cansaço, porém logo parte para as brincadeiras e outras atividades
É mimado
Aparenta desejar atenções diferenciadas para si, solicitando que sejam feitas todas as suas vontades
É deprimido, isolado, antissocial
Evita o contato e o diálogo com colegas e professores preferindo permanecer sozinho, ainda não desenvolveu hábitos e atitudes próprias do convívio social
É tagarela
Costuma falar mais que o necessário, não respeitando os momentos em que o grupo necessita de silêncio
Tem a boca suja
Utiliza-se de palavras pouco cordiais para repelir ou afrontar
Possui distúrbio de comportamento
Apresenta comportamento fora do comum para sua idade e para o convívio em grupo, tais como...
É egoísta
Ainda não sabe dividir o espaço e os materiais de forma coletiva

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Dia da consciência negra

Bom dia.

Como sugeri neste post aqui uma atividade para trabalhar com o Dia da Consciência Negra, hoje trouxe mais atividades para completar a sequência.


2ª atividade:

Depois de fazer o quadro com as características físicas e de personalidade dos integrantes da turma, como foi sugerido na atividade anterior, agora é hora de refletir sobre as diferenças.

Cole os desenhos em um mural e peça para os alunos refletirem se os colegas foram desenhados todos da mesma forma. Provavelmente será notado que os desenhos foram pintados com cores diferentes, cabelo, olhos. É nesse momento que devemos mostrar que as características físicas pouco importam, que podemos ter amigos ruivos, de cabelos pretos e outros loiros, assim será possível explicar o conceito de preconceito

Para finalizar pergunte aos alunos se eles conhecem o Dia da Consciência negra, e se eles sabem o que esta data representa em nosso país.

Para turmas maiores, de 3º ano , por exemplo, eu pediria uma pesquisa sobre a data.

3ª atividade:

Nesta etapa, podemos verificar a pesquisa realizada pelas crianças, caso tenha pedido, levantar informações sobre o tema, e fazer uma retrospectiva histórica sobre a situação da população negra  no Brasil. Fale sobre a escravidão, sobre a Cultura, os hábitos e costumes. É possível enriquecer esta atividade com receitas típicas, rodas de capoeira e etc.

4ª atividade:

Nesta etapa sugiro que façam leitura de livros sobre o tema, indiquei alguns aqui. use trechos dos livros para mostrar as crianças a necessidade de valorizarmos quem somos pelas nossas atitudes, pela postura e pelo coração e não apenas pela cor da pele.

Espero que gostem e que estas atividades sejam úteis para vocês. Não são atividades prontas, que é só imprimir e aplicar, mas com certeza vão fazer a diferença na turma de vocês.

Beijos e até mais. 

sábado, 1 de novembro de 2014

Conto: O Caboclo, o Padre e o Estudante

Olá Pessoas queridas!

Hoje resolvi trazer um conto, que eu gosto muito, aliás eu adoro trabalhar com contos, principalmente os brasileiros, considero nosso patrimônio cultural riquíssimo e na minha opinião deve ser explorando em sala de aula.

Então vamos lá, este conto foi retirado do livro de Luis da Câmara Cascudo, uma figura muito importante, que foi um grande pesquisador das manifestações culturais brasileiras e escreveu as mais diversas histórias que escutou. Estes contos são ótimos para trabalhar com o Ensino Fundamental, para incentivar o gosto pela leitura, trabalhar interpretação de textos e diversas habilidades.



O Caboclo, o Padre e o Estudante.

Um estudante e um padre viajavam pelo sertão, tendo como bagageiro um caboclo. Deram-lhes numa casa um pequeno queijo de cabra. Não sabendo como dividi-lo, mesmo porque chegaria um pequenino pedaço para cada um, o padre resolveu que todos dormissem e o queijo seria daquele que tivesse, durante a noite, o sonho mais bonito, pensando engabelar todos com os seus recursos oratórios. Todos aceitaram e foram dormir. À noite, o caboclo acordou, foi ao queijo e comeu-o.

Pela manhã, os três sentaram à mesa para tomar café e cada qual teve de contar o seu sonho. O frade disse ter sonhado com a escada de Jacob e descreveu-a brilhantemente. Por ela, ele subia triunfalmente para o céu. O estudante, então, narrou que sonhara já dentro do céu à espera do padre que subia. O caboclo sorriu e falou:

Eu sonhei que via seu padre subindo a escada e seu doutor lá dentro do céu, rodado de amigos. Eu ficava na terra e gritava:

-- Seu  doutor, seu padre, o queijo! Vosmincês esqueceram o queijo.
Então, vosmincês respondiam de longe, do céu:

-- Come o queijo, caboclo! Come o queijo, caboclo! Nós estamos no céu, não queremos queijo.

O sonho foi tão forte que eu pensei que era verdade, levanei-me, enquanto vosmincês dormiam, e comi o queijo...


Colhida no Ceara, Gustavo Barroso, "Ao Som da Viola", Rio de Janeiro, 1921. p. 413