Postagens recentes. Confiram!

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Atividades para a primavera

Oi pessoal.
Como a primavera está apenas começando aí vão algumas sugestões de atividades que eu achei legal.


Atividade realizada pela professora Silvana



Olha o painel como ficou lindo! As crianças curtiram muito!



quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Semana da Criança

Olá, como está chegando o dia das crianças, resolvi dar mais uma sugestão sobre o tema.
Na minha escola vamos fazer a "Semana da Criança", onde realizamos atividades diferenciadas durante toda a semana e na sexta-feira damos a lembrancinha que preparamos, as crianças gostam muito. As atividades são simples e fáceis de preparar, a programação deste ano para a minha turma é a seguinte:

Segunda-feira:
Culinária: Iremos preparar uma receita que as crianças gostem, junto com eles, é bom escolher uma receita simples para que eles possam participar da preparação de forma integral, afinal o interessante é a participação deles, iremos fazer a receita de doce de biscoito que já postei aqui, é simples, rápido e gostoso.


Terça-feira:

Vai ser dia de pintura no rosto, eu não sei em outras escolas, mas na minha as crianças adoram este tipo de atividade, usaremos tintas de pintura facial que é baratinho e fácil de encontrar. Os desenhos não precisam ser muito elaborados, costumo fazer borboletas, coração, pintar o rosto de gatinho, pois não tenho muita habilidade artística, mas para quem tem é só soltar a imaginação.

Quarta-feira:
Dança com bexigas, a preparação desta atividade também é muito simples, vamos afastar as carteiras para dar espaço na sala, encher de bexigas coloridas no chão e colocar algumas penduradas no teto, tornar o ambiente bem enfeitado e colorido, depois colocamos as músicas preferidas dos pequenos e aí é só curtir, depois que passar a empolgação e eles demonstrarem desinteresse começamos a fazer brincadeiras, estátua, vivo ou morto, dança das cadeiras e etc.

Quinta-feira:
Gincana, esta atividade será realizada no pátio, você pode contar com a ajuda do professor de Educação Física para elaborar um circuito (rolar em colchões, passar por túnel, correr e etc) e propor a brincadeira as crianças, é interessante confeccionar algumas medalhas e dar as crianças depois que completarem o circuito, neste caso lembre-se de dar a todos e de ajudar os que têm dificuldades para que todos consigam completar o circuito e nenhum se sinta excluído.

Sexta-feira:
Festa , será realizada uma festa comum, com comes e bebes, muita música e brincadeiras para as crianças e a entrega da lembrancinha preparada. Este ano vou dar aos meus alunos uma caneca decorada com rostinho cheia de doces, me desculpem mas ainda não tenho nenhum modelo pronto, assim que tiver eu coloco uma foto.

Espero que a semana das crianças seja muito boa e prazerosa para todos.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Jogos de matemática: Torre de hanói

Olá pessoal.
Vim falar de mais um material concreto que trabalha a matemática, desta vez é a Torre de hanói, jogo que foi criado pelo matemático francês Edouard Lucas em 1883, baseado numa lenda hindu.
Segundo a lenda, havia um templo em Banares, cidade da India, onde existia uma torre sagrada do branamismo, cuja função era melhorar a disciplina mental dos seus jovens monges. Há uma placa de bronze sobre a qual estão fixados 3 hastes de diamante e em uma dessas hastes o deus Brama colocou 64 discos de ouro puro de forma que o disco maior ficasse sobre a base e os outros decrescendo até chegar ao topo.
Os monges receberam a atribuição de transferir os discos de uma haste para a outra usando a terceira como auxiliar, devendo movimentar um disco por vez e nunca colocar um disco maior em cima do menor. Os monges deveriam trabalhar com eficiencia e quando terminasse o trabalho o templo se transformaria em pó e o mundo se acabaria.

Torre de hanói
O jogo é composto por uma base, 3 pinos e 7 discos coloridos de tamanhos diferentes.
O objetivo do jogo é transferir todos os discos de um pino para o outro, sendo que deve-se movimentar um disco por vez e nunca colocar um disco maior sobre um menor.
Com este material é possível trabalhar:
Coordenação motora;
Raciocínio Lógico;
Linguagem oral e escrita;
Noção de maior e menor;
Ordem crescente e decrescente;
Espaço e forma;
Noção de função.

PROPOSTA DE ATIVIDADE

Esta proposta é para o Ensino fundamental I, primeiramente deixe os alunos manusearem livremente o jogo, depois conte a história do jogo para eles e insira as regras, comece a jogar utilizando apenas 3 discos, depois vá aumentando o grau de dificuldade inserindo os outros discos, questione as crianças em relação a quantidade de movimentos que realizaram para jogar. Peça para eles fazerem o resgistro do jogo por escrito e com desenhos, faça cartazes com as regras do jogo e exponha, juntamente com os registros dos alunos para compartilhar com todos.
Sugiro que a avaliação seja por meio de observação do desempenho e interesse dos alunos durante as atividades e também pela observação dos registros realizados.





Você pode encontrar este material e muitos outros no link:   http://www.didako.com.br/
Espero que tenham gostado, um beijo e até mais.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Livro: Pedagogia da autonomia

Olá pessoal.
Hoje eu resolvi falar sobre um livro que eu particularmente gosto muito e recomendo, principalmente para quem está fazendo faculdade.
 O livro "Pedagogia da autonomia", do nosso saudoso Paulo Freire, é uma obra que todos os professores e estudantes de pedagogia deveriam ler, neste livro o autor deixa claro como fazer de suas aulas ferramentas para  a formação de indivíduos autonomos e capazes de mudar a própria história.
Quando comecei estudar Paulo Freire na faculdade, achei que era impossível por em prática sua proposta pedagógica, que ele queria que o professor fosse o salvador do mundo e essas coisas... Porém depois de algum tempo comecei entender melhor a proposta freiriana e mudei a minha concepção sobre o assunto, quando compreendemos o que a proposta quer dizer fica bem mais fácil o trabalho em sala de aula.
A proposta de Paulo Freire para a Educação é inovadora, atual e totalmente possível de ser aplicada, principalmente na rede pública. É claro que no começo vai dar um pouco de trabalho, mas o resultado vale a pena.
Para quem não conhece e quiser saber mais sobre Paulo Freire eu deixo a dica do livro:


E para quem já conhece vale a pena ler novamente e rever seus conceitos, afinal estamos sempre mudando.
O livro pode ser encontrado facilmente em livrarias, na Saraiva está custando apenas  RS10,30.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Declaração dos Direitos da Criança

A declaração  dos Direitos da Criança foi criada em 20 de novembro de 1959, em uma Assembléia geral da ONU, muitos dos direitos da criança também estão inseridos na Declaração dos Direitos Humanos.






Declaração dos Direitos da Criança

Declaração dos Direitos da Criança

1º Princípio – Todas as crianças são credoras destes direitos, sem distinção de raça, cor, sexo, língua, religião, condição social ou nacionalidade, quer sua ou de sua família.

2º Princípio – A criança tem o direito de ser compreendida e protegida, e devem ter oportunidades para seu desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social, de forma sadia e normal e em condições de liberdade e dignidade. As leis devem levar em conta os melhores interesses da criança.

3º Princípio – Toda criança tem direito a um nome e a uma nacionalidade.

4º Princípio – A criança tem direito a crescer e criar-se com saúde, alimentação, habitação, recreação e assistência médica adequadas, e à mãe devem ser proporcionados cuidados e proteção especiais, incluindo cuidados médicos antes e depois do parto.

5º Princípio - A criança incapacitada física ou mentalmente tem direito à educação e cuidados especiais.
6º Princípio – A criança tem direito ao amor e à compreensão, e deve crescer, sempre que possível, sob a proteção dos pais, num ambiente de afeto e de segurança moral e material para desenvolver a sua personalidade. A sociedade e as autoridades públicas devem propiciar cuidados especiais às crianças sem família e àquelas que carecem de meios adequados de subsistência. É desejável a prestação de ajuda oficial e de outra natureza em prol da manutenção dos filhos de famílias numerosas.

7º Princípio – A criança tem direito à educação, para desenvolver as suas aptidões, sua capacidade para emitir juízo, seus sentimentos, e seu senso de responsabilidade moral e social. Os melhores interesses da criança serão a diretriz a nortear os responsáveis pela sua educação e orientação; esta responsabilidade cabe, em primeiro lugar, aos pais. A criança terá ampla oportunidade para brincar e divertir-se, visando os propósitos mesmos da sua educação; a sociedade e as autoridades públicas empenhar-se-ão em promover o gozo deste direito.

8º Princípio - A criança, em quaisquer circunstâncias, deve estar entre os primeiros a receber proteção e socorro.

9º Princípio – A criança gozará proteção contra quaisquer formas de negligência, abandono, crueldade e exploração. Não deve trabalhar quando isto atrapalhar a sua educação, o seu desenvolvimento e a sua saúde mental ou moral.

10 º Princípio – A criança deve ser criada num ambiente de compreensão, de tolerância, de amizade entre os povos, de paz e de fraternidade universal e em plena consciência que seu esforço e aptidão devem ser postos a serviço de seus semelhantes.

Culinária: Receitas fáceis para fazer com as crianças.

Oi pessoal.
Ainda focando o dia das crianças hoje estou sugerindo duas receitas bem práticas para serem realizadas junto com a turminha, numa atividade de culinária.
Como muitas escolas comemoram a semana toda e cada dia faz uma atividade diferente a culinária não deixa de ser uma boa opção. Espero que gostem.



Biscoito de queijo



Ingredientes:

1 xícara (chá) de queijo parmesão ralado
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
200 gramas de manteiga ou margarina


Modo de fazer:

Amasse bem todos os ingredientes até que virem uma massa homogênea. Enrole a massa fazendo tiras compridas, na espessura de um dedo e corte em pedaços de aproximadamente 3 cm. Asse em forno quente até dourar.
Doce de biscoito
Ingredientes:
1 pacote de biscoito Maria ou Maizena
2 colheres (sopa) de manteiga
4 colheres (sopa) de chocolate em pó
1 lata de leite condensado
Açucar para polvilhar
Modo de fazer:
Pique os biscoitos e reserve. Coloque em uma panela o leite condensado, o chocolate em pó e a manteiga, misture tudo e deixe engrossar até fazer uma massa de brigadeiro. Quando estiver no ponto ainda com o fogo acesso coloque os biscoitos e misture. Coloque num refratário de vidro e espere esfriar, corte em pedaços pequenos e passe no açucar.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Atividades para o dia das crianças

Oi todo mundo.
Como o dia das crianças está chegando, resolvi sugerir algumas atividades, espero que seja útil para vocês e que gostem.








Este sapinho é lindo, confeccionado em EVA e com uma língua de sogra. Super fácil de fazer.














Este brinquedo é bem interessante, para confeccioná-lo
vocé vai precisar de:
alfinetes, estilete, isopor, linhas de costura e de pipa, moldes circulares
palito de churrasco, pedaços de garrafas pet, pincel, tesoura com ponta
arredondada, tinta guache.



                        PASSO A PASSO
    Siga as instruções das  fotos
1. Transfira os moldes para o isopor.
2. Com o auxílio do estilete, siga as marcações e corte os moldes circular e oval.
3. Recorte dois pequenos retângulos na garrafa pet e
espete um alfinete nas extremidades dos dois retângulos.
4. Amarre a linha firmemente na ponta do palito.
5. Cole o palito no isopor oval e espere secar.
6. Depois de seco, encaixe a parte oval no molde circular até a metade.
Decore com a tinta guache e aguarde a secagem. Passe
a linha pelos retânculos e amarre-a  ao carretel.








CARRINHO DE GARRAFA PET

Materiais:
dois canos de PVC (com 30 cm cada), fita adesiva transparente,
cinco garrafas pet, plástico filme e tesoura.
1. Para fazer as rodas do veículo, corte a base de quatro garrafas pet.
2. Recorte-as em tiras com aproximadamente 5cm de largura, no sentido
vertical. Contudo, não inicie o corte pela ponta. Deixe 4 cm de espaço
na parte inferior e 7 cm na superior.
3. Vire a ponta inferior para fora e leve-a até a superior. Encaixe e fixe com a fita adesiva.
4. Repita os passos 2 e 3 as outras três bases de garrafa pet.
5. Envolva os canos de PVC com plástico filme e finalize com fita adesiva.
Observe se as pontas estão realmente presas.
6. Faça quatro furos (na mesma direção) na última garrafa pet. Dois devem
setar na parte superior e os outros dois, na inferior.
7. Encaixe os canos de PVC nos furos e, para finalizar, coloque
 as rodas feitas anteriormente.








sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Trabalhando com valores.

Olá pessoal.
Todos nós sabemos a importância de se realizar um trabalho consistente com valores, principalmente no mundo de hoje, onde estão se perdendo os valores cada vez mais. Achei um texto interessante que fala sobre o assunto e resolvi compartilhar com vocês.



"Vamos falar de valores..."

Texto de Débora Corigliano
Revista Projetos escolares.



Hoje em dia, viviemos em busca da melhoria da qualidade de vida, dos relacionamentos e da carreira profissional. Queremos ter, queremos ser. Porém, na correiria, pulamos aspectos importantes desse contexto, como os valores morais ou de conduta. Os valores consistem nas convicções e ideias que temos sobre a vida, as pessoas e o dinheiro e influenciam nossos relacionamentos: como tratamos uns aos outros, de que forma resolvemos nossas diferenças. A transmissão de princípos é uma das preocupações que toda família e escola possuem. Não há como formar cidadãos éticos e prontos para a vida em sociedade sem transmitir as normas humanas universais. Embora não existam respostas simples, é possível apontar caminhos a serem seguidos, com o objetivo de amenizar problemas de comportamento enfrentados atualmente dentro e fora da escola.
Quem define os valores para a criança?
Com certeza esse momento é responsabilidade da família em parceria com a escola. Porém, cada um tem seu papel nesse processo. A escola trabalha com a coletividade, a família lida com as particularidades de cada membro associados ao bem comum. A família oferece à criança todas as condições para desenvolver os principais valores, pois existe aí um vínculo emocional muto forte. Um ambiente familiar com moralidade, respeito e exemplos positivos formará uma criança com valores presentes e bem definidos. Do outro lado, a escola colabora fazendo a manutenção constante dos valores apresentados em cada contexto familiar.
Os valores são os determinantes da escolhas que se faz, dos objetivos que se tem e o que se considera bom ou mal. Para um melhor entendimento, é necessário conceituar os valores: alguns são gerais, todos devem conhecê-los e aplicá-los no seu dia a dia, como a verdade, a honestidade e o respeito. Outros são pertinentes a cada família. Porém, existe um elo que famíla e escola estabelecem de forma significativa para garantir à criança um contexto permeado pelas regras morais.
Hoje em dia, a Educação requer informação e apoio, e a escola pode ser um braço direito nessa questão, pois sempre está aberta a receber os pais para, juntos, acharem o melhor caminho para o desenvolvimento emocional da criança. A escola tem seus valores dentro do processo da educação muito bem definidos e consegue passar isso para as crianças de forma clara e pr5ática. Esse trabalho em gurpo reforça as condutas e motivar as crianças a receber esses valores de forma positiva.
A palavra "respeito" envolve atitudes importante, como a consideração, a admiração por uma pessoa, o cuidado pela natureza, pelos animais e pelas plantas, enfim, pelo mundo que nos cerca.
E dignidade significa o respeito que temos por nós mesmos. Portanto, respeito é um valor que se refere a nós mesmos e aos outros, sendo que o respeito aos outros é a primeira condição para que as relações sociais aconteçam de maneira saudável. A aprendizagem do respeito é construída através da convivência com as pessoas que nos cercam: familiares e educadores que dão testemunho de como agir respeitosamente. Cabe ao professor, nesse momento, rever com seu grupo de alunos os principais valores pertinetes e aplicá-los na sua vivência. Existem jogos, dinâmicas e atividades que ajudam o professora a trabalhar com valores.
Isso também pode ser passado às famílias em reuniões. Uma conscientização dos pais a respeito do assunto pode mudar muito o relacionamento familiar e consequentemente, a vida- emocional do aluno.
Professor, mãos à obra! Use sua criatividade e renove os conceitos de valores que seus alunos apresentam.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Programa Ler e Escrever

       



Hoje vim falar sobre um artigo interessante que eu li, o título do artigo é  "Formação, avaliação e políticas públicas" de Telma weisz.
O artigo relata o trabalho realizado pelo estado de São Paulo com o objetivo de diminuir o fracasso escolar e melhorar a qualidade de ensino ao longo dos últimos 25 anos, dando destaque para o programa "Ler e Escrever" que teve início em 2007, foi o primeiro após muitos programas (Ciclo Básico, em 1984;  Por uma alfabetização sem fracasso, em 1988; Alfabetização: Teoria e Prática, em 1993; Letra e Vida SARESP, em 2003.) a ser oficialmente assumido como política pública.
Oferecendo material didático para professores e alunos, tem o objetivo de avançar a qualidade do ensino, inclui programas de formação para gestores e coordenadores, para que estes visem também a parte pedagógica em suas ações e não apenas aspectos administrativos.
O programa apresentou uma melhora de 30%  nos resultados das provas do SARESP.
No link abaixo você encontra artigos, manuais didáticos e outros materiais sobre o assunto, vale a pena conferir. Tem muito material bom para trabalhar.


 

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Alfabeto de centopéia

Este alfabeto é muito bonito, para colocar na parede, podemos fazer o corpo colorido, fica lindo!
O meu vou fazer em EVA, bem colorido, afinal a sala de aula tem que ser um ambiente acolhedor e estimulador para as crianças.

















terça-feira, 13 de setembro de 2011

Modelo de cartão

Olá pessoal.
Hoje eu estava organizando algumas coisas e encontrei um modelo de cartão, bem simples e bonito.
Pode ser usado como convite, lembrança ou o que a criatividade e a ocasião mandar.




As casinhas ficaram lindas! foram usadas como convite para o dia da Família na escola.
Foram montadas com um desenho simples de casinha, utilizando papel color set e papel de seda, a cola utilizada foi cola branca, o palito de sorvete também foi fixado com cola branca e foram colado doi palitos em cada casinha, assim o convite se transforma em um marcador de páginas, pois pode ser colocado a folha das páginas entre os dois palitos.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Feira e Congresso de Educação Saber 2011

Olá pessoal, hoje vim falar de um evento que aconteceu neste último fim de semana, o Saber 2011, foi uma feira com aproximadamente 50 expositores e congresso com muitas palestras interessantes e com grandes nomes da Educação. O evento acontece todos os anos, este ano tinha algumas coisas interessantes entre os expositores (sempre tem!) muitas novidades como material pedagógico, sistema de ensino, decoração de sala de aula, projetos sustentáveis, móveis escolares, enfim tinha tudo para escola. Para quem possui uma escola é um evento que eu recomendo, para educadores as palestras são ótimas, têm preço bem acessível.
Este ano eu tive a oportunidade de participar de uma palestra da Telma weisz e em breve faço uma postagem para vocês.
Este ano achei que estava  meio vazio, nos outros anos teve mais visitantes, pelo menos nos dias em que eu fui, percebi também que havia menos expositores, mas estava muito agradável.
Alguns expositores que vale a pena destacar:
Cortez Editora e Livraria  - tinha ótimas ofertas
Desk Móveis escolares - para quem tem escola os móveis são maravilhosos!
Dsop Instituto de Educação Financeira - Oferecem palestra e acessoria em educação financeira.
Editora Ciranda Cultural - Bons livros para Educação Infantil, gostei muito!
Fundação Victor Civita - Essa muita gente já conhece.
Papel Toys - Além dos mais variados e criativos tipos de papel, oferece umas opções de lembranças muito boas e também de objetos para uso em sala de aula como cantinho da leitura  e alfabetos que valem a pena.

Me desculpem por não ter tirado nenhuma foto. Por enquanto é isso, boa semana para todos.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Que qualidade é essa?

Ter a escola classificada entre as melhores da cidade, da região ou do país é motivo de orgulho para qualquer gestor. O trabalho reconhecido gratifica e faz com que se procure ir adiante, aprimorando cada vez mais seus frutos. Por outro lado, compreende-se a preocupação dos diretores cujas unidades não têm desempenho satisfátorio. O esforço pela busca de um bom desempenho é aí requerido de maneira especial.
Para além dos resultados e da ressonância deles na comunidade, vale refletir sobre o significado da qualidade que se deseja nos processos de ensino e aprendizagem. Do ponto de vista da ética, um trabalho de boa qualidade é aquele que faz bem, isto é, que vai ao encontro do que é necessário para uma vida plena, apra o conhecimento ampliador das potencialidades humanas e da intervenção na construção de uma sociedade igualitária e democrática. Assim, é preciso que o educadores examinem, de um lado, as exigências que se fazem às escolas e os critérios os quais se determina o que é boa qualidade; de outro, os valores que os sustentam e como eles se articulam com as necessidades concretas do contexto social.
Os gestores precisam ficar atentos para não reduzir os resultados dos processos de ensino e aprendizagem apenas ao caráter técnico e ignorar as dimensões estética, política e ética. Para essa reflexão, cabem algumas perguntas: os alunos que dominam bem o conteúdo das disciplinas se relacionam de maneira respeitosa com os demais? Têm consciência de responsabilidade que emerge com a aquisição dos saberes? Vão além da perspectiva pragmática da aprendizagem? Afirmamos que cabe à escola colaborar na construção da cidadania. Temos de pensar, então, o que isso implica quando se fala em escolas de qualidade.
Quero reiterar algo que tenho partilhado em encontros com colegas educadores: o bom ensino é aquele que cria condições para a formação de alguém que sabe ler, escrever, resolver problemas. Isso parece óbvio, mas, como aprendemos com Darcy Ribeiro, o óbivio nem sempre é reconhecido como tal. Por isso, é preciso esclarecer.
Quando dizemos ler, escrever e resolver problemas, estamos afirmando: ler não apenas os livros mas também os sinais do mundo e a cultura do nosso tempo. Escrever não apenas nos cadernos ou computadores mas também na realidade da qual afazemos parte, deixando sinais e símbolos, intervindo em sua significação e ressignificação. Resolver problemas não apenas no espaço da Matemática, mas no amplo universo das questões que desafima os seres humanos na construção de sua história, no convívio com os outros, nas expressões político-sociais, nas criações artísticas, nas manifestações religiosas e nas investigações científicas.
Aqui, algumas outras indagações nos desafiam: estarão as escolas realizando um bom trabalho nessa direção? Haverá efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O conecimento adquirido deve contribuir para o reconhecimento, o respeito e a valorização do outro? Vale dizer que só respostas afirmativas farão com que haja sentido em se orgulhar de bons resultados e em procurar buscá-los quando ainda não foram consolidados.




Texto de  Terezinha azerêdo Rios
Revista Nova Escola.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Gestão: Família na Escola

Todos nós sabemos como é uma tarefa difícil trazer a família para a escola e fazer com que esta acompanhe a vida escolar das crianças.
Sabemos que as duas (família e escola) devem caminhar juntas, pois possuem um interesse em comum, que é o bem estar e educação da criança, porém isso é muito difícil de acontecer, geralmente os pais e responsáveis nunca aparecem na escola, e quando isso ocorre é com pressa em alguma reunião de pais, porque se sente obrigado a comparecer ou em algum evento onde eles se sentem apenas como mais um, o que não garante o retorno da família à escola.
Algumas medidas simples podem ajudar nesse processo e aproximar mais a família da escola.
Hoje vou citar a experiência de uma grande profissional, a diretora Elizete Moreira, ela dirige uma escola pública na cidade de Embu das Artes no estado de São Paulo.
Elizete já está no cargo aproximadamente uns 10 anos, não é brincadeira hein!, conquistou este cargo democraticamente por meio de eleição entre membros da comunidade, funcionários da escola e pais de alunos, (olha aí a participação da comunidade!).
O segredo para vencer as barreiras e aproximar os pais e comunidade da escola é manter a mesma sempre de portas abertas, está sempre a disposição dos pais para conversar, que é o caso da nossa diretora de hoje, Elizete sempre está presente na escola e é acessível a todos, tanto os funcionários como os pais ou a comunidade têm livre acesso para chegar e conversar diretamente com ela, e ela está sempre disposta a ouvir e tentar ajudar todos. Esse é o primeiro passo, assim a comunidade vai se sentir ouvida, importante e participará mais das ações promovidas na escola.
Uma boa estratégia são as confraternizações realizadas na escola, no sábado 27 de agosto de 2011, a escola na qual Elizete é gestora houve o "Dia da Família na Escola" o qual foi um grande sucesso, compareceram pais e membros da comunidade, a participação deles foi grande e houve uma interação muito possitiva entre funcionários, pais e comunidade.
No "Dia da Família na Escola" foram realizadas várias oficinas: Salão de beleza, crochê, artesanato, pintura de rosto para a criançada, dança e etc. Os pais adoraram! participaram e prestigiaram todas as oficinas, ficaram mais próximos dos professores e outros funcionários, criando uma interação de extrema importância para esta parceria (escola e família).
Parabéns a Diretora Elizete, que com pequenas atitudes conseguiu vencer muitos obstáculos e criar uma ação tão importante para promover a aproximação da famíla com a escola. Este é o caminho para que esta parceria seja duradoura e obtenha sucesso. É disso que nossa Educação precisa!
Segue algumas fotos do evento:


O evento começou com um belo café da manhã, para os funcionáriosa  e uma dinâmica bem animada, o que garantiu a motivação da turma para enfrentar um belo sábado de sol e trabalho.

Oficina de Pintura no rosto, para as crianças, assim os pequenos tinham onde ficar enquanto as mamães participavam das outras oficinas.

As oficinas foram realizadas com muito capricho, de acordo com as habilidades de cada um.

Houve oficinas de crochê e tricô, miçangas, flores, caixas e todas foram um sucesso!



As mães ficaram super empolgadas e olha quanta coisa linda aprenderam fazer!


Esta oficina de flores e caixas é uma verdadeira obra de arte, olha quanta coisa linda! para fazer lembrancinhas então...
Olha o pessoal participando!

Cartazes indicativos de oficinas, ajudam na localização, assim os pais se sentem mais livres para a circulação na escola.
A decoração da escola foi de fundamental importância para criar um ambiente agradável e acolhedor.
Os cartazes ajudam a motivar e incentivar a participação da população nas oficinas, garantido o sucesso do evento.


As salas foram identificadas para todos saberem onde estava acontecendo cada oficina, foi realizado tudo com muito capricho, demonstrando o carinho da escola pelos pais.







quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Um mês de Blog!

Oi pessoal.

Ontem fez um mês que o Erudio Brasil está no ar, e recebendo muitas visitas, até mais que o esperado!
Estou muito feliz e vim aqui hoje só para agradecer a todos que me apoiaram e me ajudaram, o sucesso é de todos nós.
É sempre bom saber que mesmo que não sejam da área da Educação as pessoas estão preocupadas e desejam que nosso país alcance uma Educação digna e de qualidade para todos, nós sabemos que ainda está longe disso acontecer, mas com comprometimento e profissionalismo, cada um fazendo a sua parte a gente chega lá.
Um muito obrigada a todos e um grande beijo.


terça-feira, 6 de setembro de 2011

Projeto: Os animais

Ola Pessoal, como  animais é um tema que gera muito interesse entre a garotada, resolvi enviar um post com um projeto que realizei o ano passado e obtive muito sucesso, espero que gostem.



Faixa etária: 2 anos
Duração Prevista: 4 meses.
Áreas abordadas: Natureza e Sociedade, Matemática e Movimento.

Justificativa: A criação deste projeto se deve ao interesse que as crianças demonstram pelo tema, pelo desenvolvimento apresentado pelos alunos, que os tornam aptos a realizar atividades mais elaboradas e aprofundar seus conhecimentos em relação aos animais, além de reforçar os trabalhos relacionados ao meio ambiente.

Objetivos:
ü  Desenvolver a linguagem oral;
ü  Desenvolver a coordenação motora;
ü  Estimular a cooperação entre os colegas;
ü  Incentivar o respeito ao próximo;
ü  Conhecer alguns animais e como eles vivem;
ü  Desenvolver noção de espaço, a fim de se localizar melhor;
ü  Conhecer as cores;
ü  Desenvolver a noção de tamanho (grande e pequeno);

Conteúdos Conceituais:  
ü  Cores;
ü  Numeração (de 1 a 10);
ü  Tipos de animais;
ü  Lugares diferentes;
ü  Animais de estimação e animais selvagens;
ü  Noção de tamanho.

Conteúdos procedimentais:
ü  Brincadeiras de roda;
ü  Circuitos;
ü  Dominó de cores;
ü  Bingo de animais;
ü  Jogo com números;
ü  Atividades com blocos lógicos;

Conteúdos Atitudinais:
ü  Respeitar o colega;
ü  Esperar a vez de jogar, de falar e etc.;
ü  Cuidados com os animais;
ü  Cuidado com os jogos e materiais usados;

Fechamento:
Construção de um painel sobre o tema.

Avaliação: A avaliação será contínua, feita por meio de observação.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Formando Leitores

Os projetos paralelos dentro da sala de aula semprerequerem um trabalho a mais. Eles são totalmente feitos pela iniciativa do educador e com a participação ativa dos alunos. Esse recurso geralmente surte excelentes resultados, pois o professor busca uma necessidade, cria um projeto e o desenvolve de forma que todos saem ganhando. Assim deve ser com a prática e o incentivo à leitura dentro da sala de aula.
Nas séries iniciais, o professor tem a responsabilidade de transformar seu aluno em leitor. Cada criança tem uma experiência de vida sobre isso e vai encarar esse desafio de uma forma diferente. Cabe ao educador abrir um mundo novo dentro desse processo e mostrar que ler é ir além da leitura formal exigida diariamente pelo professor. Seu aluno pode muito, e você é o condutor nesse caminho. Ensinar a ler não é processo natural, como consequência da escrita, é uma eterna fonte de descobertas e desafios.
Transforme sua sala de aula em um espaço literário. Crie com a turma um painel do leitor e comece a preenchê-lo com pequenos textos, porém rechados de imagens com signigicados para as crianças. Solicite que elas também tragam textos, como: tiras de quadrinhos, rótulos de produtos do cotidiano, propagandas ou panfletos. Cultive o hábito diário de reservar um momento para uma leitura informal.
Outra maneira de incentivar os estudantes a ler é construir histórias coletivas com a classe, assim as crianças dividem o trabalho: algumas escrevem o texto, outras o ilustram e o livro está montado. Com certeza os alunos terão muito prazer em ler algo produzido pela própria turma. Aproveite esse projeto para iniciar o respeito e o cuidado pelo livro e pelo material coletivo. Faça um cronograma para que todos levem o livro para casa para ser lido e apresentado aos pais.
Passeie com os alunos pela escola, para  que eles possam descobrir todas as informações que estão escritas pelos pátios e salas. Traga para sala de aula livros de diversas formas, tamnhos e conteúdos pra que eles tenham acesso. Se possível, leve-os a uma biblioteca ou gibiteca. Será uma experiência única e inesquecível!
Outra forma de incentivá-los a ler e a buscar a leitura é montar em sala um momento da notícia. Peça que tragam um recorte de revista ou jornal e leia a notícia para a classe.
Quando se tem um projeto de incentivo à leitura dentro de sala de aula, o professor deve ficar atento ao grau de leitura de cada aluno e sempre tomar muito cuidadeo para que aqueles que dominam o jprocesso da leitura não inibam os que sabem menos ou possuem alguma dificuldade. Nessa situação, o educador deverá intermediar o processo, fazendo que ambos se sintam importantes frente à leitura, tornando o aluno com dificuldade mais motivado, e o que tem o domínico, um colaborador.
existem muitas dinâmicas que você poderá fazer em sala de aula para incentivar a leutura e criar bons hábitos literários.
Vá em frente e sucesso!


Texto de Débora Corigiano
Revista Projetos Escolares.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Matemática na Educação Infantil: Blocos lógicos.

O ensino de matemática na Educação Infantil é algo de extrema importância, pois as crianças começam aprender  alguns conceitos matemáticos desde o período sensório-motor, ou seja, desde de bebê já é possível proporcionar as crianças situações que estimulem o seu aprendizado em matemática, isso ocorre quando os bebês manuseiam objetos, separam, ordenam e etc.
Os blocos lógicos é uma ferramenta que permite trabalhar conceitos matemáticos de forma concreta o que é recomendado na Educação Infantil, foi criado na década de 50 por um  matemático húngaro. É composto por 48 peças com :

formas - quadrado, triangulo, retangulo e círculo
espessura - grossa e fina
tamanho - grande e pequeno
cores - azul, vermelho e amarelo

Ajuda no desenvolvimento do raciocínio lógico matemático, trabalha noções de seriação, comparação, ordenação, classificação, transitividade, noções de cores entre outras.


imagem de blocos lógicos

Algumas sugestões de atividades:

LIVRE CRIAÇÃO




O primeiro passo é promover o reconhecimento do material. Com cartolina ou outro material semelhante, prepare pranchas com desenhos feitos nas formas dos blocos lógicos ­ uma casinha formada de um retângulo e um triângulo, por exemplo. Em seguida, os alunos reproduzem a figura utilizando as peças. Para isso, vão observar e comparar as cores, os tamanhos e as formas que se encaixam.
O trabalho em grupo enriquece a atividade, pois as crianças certamente vão discordar entre si. O diálogo contribuirá para o conhecimento físico de cada bloco. Depois de completar alguns desenhos, os próprios alunos criam novas figuras.



QUAL É A PEÇA

Para descobrir, as crianças entram numa competição. Você deve dividir a turma em grupos e distribuir um conjunto de atributos para cada um contendo as características de uma peça (por exemplo: amarelo, triângulo, grande e fino). Em seguida, o grupo tem que selecionar a peça correspondente e apresentá-la às outras equipes. A competição pode girar em torno de qual grupo encontra a peça correta em menos tempo ou de qual grupo encontra mais peças corretas. À medida que acertam, recebem uma pontuação. Outra opção é cada equipe desafiar os outros grupos da classe distribuindo eles mesmos os atributos. Nesse jogo, as propriedades dos blocos são apresentadas de forma separada. O raciocínio lógico estará voltado para a composição e a decomposição das características de cada peça. Antes de escolher a peça correta, a criança terá de imaginá-la com todas as suas características. Esse é o mesmo processo pelo qual as crianças passarão quando estiverem formando o conceito de número. Conforme evoluírem, saberão que o número 4, por exemplo, é par, maior que 3 e menor que 5, sem precisar usar materiais concretos para isso. Nessa fase, entendem também que é importante saber os nomes corretos de cada característica. Não pode haver dúvida entre o que é amarelo e o que é vermelho, por exemplo. Mais adiante, também não poderão vacilar entre o que seja um quadrado e um pentágono, um número inteiro e um fracionário.




O JOGO DAS DIFERENÇAS
Nesta atividade, as crianças trabalham sobre um quadro contendo três peças. O desafio consiste em escolher a quarta peça observando que, entre ela e sua vizinha, deverá haver o mesmo número de diferenças existente entre as outras duas peças do quadro. As peças devem ser colocadas pelo professor de forma que, em primeiro lugar, haja apenas uma diferença. Depois duas, três e, por fim, quatro diferenças entre as peças. A intenção é que as crianças façam comparações cada vez mais simultâneas quando estiverem pensando na peça que se encaixe em todas as condições. Esse raciocínio lhes será útil em várias situações do cotidiano, como dirigir um carro ou operar um computador, bem como em temas futuros da Matemática. Afinal, quase sempre há mais de uma resolução para um problema ou um sistema de equações. A criança terá que ponderá-las para chegar à forma mais conveniente.



SIGA OS COMANDOS
As crianças vão transformar uma peça em outra seguindo uma seqüência de comandos estabelecida pelo professor. Esses comandos são indicados numa linha por setas combinadas com atributos. No exemplo da foto, vemos uma seqüência iniciada com os atributos círculo, azul e grosso. As crianças então escolhem a peça correspondente. O comando seguinte é mudar para a cor vermelha. As crianças selecionam um círculo grosso e vermelho. Em seguida, devem mudar para a espessura fina. Então, um círculo vermelho e fino é selecionado. Assim por diante, o professor pode continuar acrescentando comandos ou pode apresentar uma seqüência pronta. Depois é feito o processo inverso. As crianças são então apresentadas a uma nova seqüência de comandos, já com a última peça. Elas deverão reverter os comandos para chegar à peça de partida. A atividade é essencial para o entendimento das operações aritméticas, principalmente a soma como inverso da subtração e a multiplicação como inverso da divisão. E também contribui, no futuro, para que as crianças resolvam problemas e entendam demonstrações, atividades que exigem uma forma de raciocínio em etapas seqüenciais.
















Figuras formadas com blocos lógicos.




HISTÓRIA DO PIRATA

Agora, conte a seguinte história: "Era uma vez um pirata que adorava tesouros. Havia no porão de seu navio um baú carregado de pedras preciosas. Nesse porão, ninguém entrava. Somente o pirata tinha a chave. Mas sua felicidade durou pouco. Numa das viagens, uma tempestade virou seu barco e obrigou todos os marinheiros a se refugiarem numa ilha. Furioso, o pirata ordenou que eles voltassem a nado para resgatar o tesouro. Mas, quando retornaram, os marujos disseram que o baú havia sumido. 'Um de vocês pegou', esbravejou o pirata desconfiado." Nesse ponto, começa o jogo com as crianças. Peça que cada uma escolha um bloco lógico. Ao observar as peças sorteadas, escolha uma delas sem comunicar às crianças qual é. Ela será a chave para descobrir o "marujo" que está com o tesouro. Apresente então um quadro com três colunas (veja abaixo). Supondo que a peça escolhida seja um triângulo pequeno, azul e grosso, você diz: "Quem pegou o tesouro tem a peça azul". Pedindo a ajuda das crianças, preencha os atributos no quadro. Em seguida, dê outra dica: "Quem pegou o tesouro tem a forma triangular". Siga até chegar ao marinheiro que esconde o tesouro. A atividade estimula mais que a comparação visual. Também exercita a comparação entre o atributo, agora imaginado pela criança, e a peça que a criança tem na mão. A negação (segunda coluna do quadro) leva à classificação e ajuda a compreender, por exemplo, que um número pertence a um e não a outro conjunto numérico.


Blocos lógicos utilizados no vídeo.
Este é da Didako materiais educativos.



Espero que tenham gostado do post e que minhas ideias contribuam para a prática pedagógica de vocês.